Aviso aos navegantes:

Se achar que você se encaixa em algum desses escritos, talvez não seja mera coincidência. Ou seja, quem sabe ...



Da sensibilidade dela ...

by | |

Ser sensível nem sempre é bom. Já houve momentos em que ela fora “desprezada” por sua sensibilidade. Afinal, sensibilidade como a dela, não serve para coisas práticas, nem mesmo para questões políticas. Mas, para ela não importa, porque a sensibilidade entende de amor. E o amor é importante!

Muita gente não sabe o que é o amor. Encontram-se anestesiados perante os sentimentos. É triste, mas existem pessoas que não sabem receber um elogio ou um gesto de amorozidade. São tão cheias de cicatrizes vindas da dureza do mundo, que diante do afeto se armam, se retraem, para não serem atingidas. Insistem em dizer que sentimentos são bobagens. Mas ela, não se dá por vencida não.

Ela acredita que pode sim tornar este mundo um pouquinho melhor através da sua sensibilidade. Que pode acarinhar alguém através de suas doces palavras. Por isto ela escreve e pronto! Afinal, ela é muito "sensívelzinha", não tem jeito ...

[Thaís P.]

4 comentários:

Sam

Thaís,

Vi que pisou em meu chão, se adentrou em meu quintal e que anda seguindo meus passos.

E por causa desse olhar de cantinho, tão reflexivo do mundo, de si... vim te conhecer, conhecer seu mundo e confesso que me apaixonei. Por cada linha e vírgula.... tudo aqui tem perfume e cor, cheiro de flor. São pérolas as palavras suas.

Coração agradece e te dá as boas vindas, lá em casa no "Vou te contar..." e no meu quintal "Alegrias de Quintal"

Deixo meu abraço sincero e desejos de um 2911 de bons e belos frutos.

Abraços, flores e estrelas...

Sam

* Ops, 2911 está um pouco longe, né? rs desejo um 2011 de bons e belos frutos.

Beijo na alma.

ALUISIO CAVALCANTE JR

Querida amiga

Vim agradecer a sua visita
já neste final de ano em meu blog.

Que o ano que se aproxima
lhe traga muitas alegrias,
e permita a você
fazer muitas pessoas felizes
com a sua vida.

Que os sonhos te acompanhem sempre.

Jéssyca Carvalho

Talvez ela se pareça com alguém que eu conheço.
Alguém que vive bem aqui, bem dentro de mim.
E esse alguém, é realmente assim, sensível.
Sensível dessa sensibilidade que só a ele importa e que, por mais julgada que seja, permanece.
Permanece, porque tem a esperança de que, ao menos uma vez na vida, fará a diferença na vida de alguém...

Isso é ser poeta!

Postar um comentário